Saída

Nightmares can be very disturbing Não é incomum para os homens a experimentar problemas para dormir e ter pesadelos após abuso sexual ou agressão sexual. O problema com pesadelos é que eles podem não só ser inquietante em si, mas pode trazer de volta doloroso, perturbadoras memórias associadas com o abuso sexual ou agressão sexual. Pesadelos pode ocorrer dias, semana, meses ou anos após uma situação de abuso, aparecer apenas uma vez ou ser recorrente. Eles podem aparecer do nada, ser difícil de entender, e se o seu conteúdo refere-se a abuso sexual ser difícil explicar aos outros. Abaixo estão algumas informações sobre os pesadelos, juntamente com algumas sugestões de como lidar com eles.

Alguns efeitos de pesadelos

Pesadelos podem produzir os seguintes efeitos:

  • Sentimentos de solidão, aflição, vulnerabilidade, medo, ansiedade, tristeza, raiva, culpa e vergonha.
  • Reação física, tais como dificuldades respiratórias, aperto no peito, sudorese e agitação.
  • Dificuldades para dormir – problemas de ir para a cama e dormir, medo de dormir sozinha ou dormir com alguém.

Infelizmente, expectativas da sociedade que um homem deve sempre se sentir no controle e ser capaz de lidar com qualquer coisa que é jogada para ele pode adicionar às dificuldades dos homens em lidar com esses efeitos comuns. Essas expectativas irrealistas de gênero pode ter homens se avaliar em relação a sua capacidade de gerir pesadelos e pode tornar difícil para pedir ajuda.

Depois, Eu simplesmente não dormir. Eu acordava suando frio, tudo tenso. Minha Casa companheiros me disseram que podia ouvir o que soou como um grito abafado. Eu simplesmente não podia dizer-lhes.

Compreensivelmente, pesadelos seguintes os homens podem tornar-se preocupado com o seu conteúdo, tentando separá-los e entendê-los. Contudo, muitas vezes, o silêncio eo segredo em torno abuso sexual pode ficar no caminho de homens que falam com parceiros, amigos e familiares.

Coisas que você pode fazer para controlar os pesadelos da época

Pesadelos acontecer e há coisas que você pode fazer no curto prazo e de longo prazo para lidar com eles. Abaixo estão algumas maneiras de gerenciar pesadelos quando ocorrem:

  • Tranquilizar-se que você está seguro e que o evento traumático que você está lembrando não está acontecendo agora.
  • Respire devagar e profundamente.
  • Fique atento e compreender a resposta do seu corpo como reações fisiológicas naturais para uma experiência traumática; tentar diminuir essas reações físicas, continuando a respirar profunda e lentamente, tente ver e imaginar seus músculos relaxar.
  • Localizar-se no presente; verificar a sua realidade presente, olhando ao redor, tocando coisas, carimbar seus pés, olhando no espelho ou falando sozinho.
  • Confirme a sua segurança física – acender as luzes, andar pela casa, verificar as fechaduras.
  • Tenha um copo de água.
  • Lavar o rosto ou tomar um banho ou duche quente.
  • Concentre-se em outra coisa: ler um livro ou revista, assistir TV, ouvir rádio ou música relaxante.
  • Converse com um parceiro, amigo ou parente que é favorável.
O que você pode fazer se pesadelos persistem

Se, de manhã, você pode colocar de lado o pesadelo e se concentrar em entrar e fazer o que é importante para você, em seguida, fazer. Se, porém, um pesadelo persiste ou se torna particularmente perturbador que você pode tentar o seguinte exercício.

  1. Escolha um sonho / pesadelo desagradável, aquele que não é um replay direto ou uma reencenação de um evento angustiante e anotá-la.
  2. Faça o sonho desagradável para baixo em tanto detalhe como você pode. Só desta narração do sonho mudar o final para que ele combina com você. Lembre-se que é a sua escolha para fazer isso e que você pode parar de escrever ou pensar sobre o sonho e fazer outra coisa qualquer hora que quiser.
  3. Agora, conhecer esta nova versão preferida do sonho, ensaiar cada noite por cerca de 5-15 minutos antes de ir dormir.
  4. Depois de ter ensaiado o sonho, executar um exercício de relaxamento, que você está familiarizado com e ajuda você a adormecer pacificamente. Se você acordar, ele pode ser útil repetir este exercício de relaxamento, respirar profunda e lentamente.
  5. Quando estiver satisfeito que você tenha re-contado o sonho desagradável para melhor servi-lo, você pode optar por trabalhar em outro pesadelo que é um pouco mais intensa do que a última. Certifique-se de que este processo é um aumento gradual na intensidade e não trabalhar com mais de 2 pesadelos em uma semana. Também cuidar de si mesmo; você não tem que descrever sobre o conteúdo perturbador dentro do sonho.

Esta é apenas uma maneira de lidar com pesadelos. Se ele não está funcionando para você ou se você achar que está convidando de flashbacks durante o dia, então pare. Algumas pessoas acharam útil para anotar os sonhos e sua reação a ele em um diário ou uma revista, como uma maneira de tirá-lo da sua cabeça. Se você continuar a ser perturbado por pesadelos ou sentir que há algo que você deseja trabalhar fora, ele pode ser útil para encontrar um conselheiro experiente que você pode trabalhar com.

Reconhecimento: Adaptado a partir de informações fornecidas dentro de Brisbane serviço de agressão sexual, ficha de informação – ‘Gerenciando Nightmares’ e Cracóvia Hollister Field et al, “Imagery Rehearsal Therapy para pesadelos crônicos em sobreviventes agressão sexual com Transtorno de Estresse Pós-Traumático". Journal of the American Medical Association Vol. 286 Não 5, 1 Agosto 2001

 

7 Comentários

  1. Comment by Aplin

    Aplin Resposta Julho 5, 2016 em 11:43 pm

    I was sexually and physically abused several times during childhood and also when I was a teenager. I have seen psychiatrist and therapist over the years, but still not better. Any suggestions on what I should do? Obrigado

    • Comment by Jerry

      Jerry Resposta Setembro 16, 2016 em 11:09 pm

      The therapy and psychiatry are not designed to make you better. They are forms of study that can bring you down a path of healing, should you take that path. Best of luck to you my friend.

    • Comment by Beat

      Beat Resposta Setembro 21, 2016 em 6:20 pm

      Hey Alpin,

      I too was sexually, physically and mentally abused growing up. It wasnt until college age that I was in a safer place to work on the past I tried to shove into the back of my mind.

      I did a LOT of things to heal and be normal and here’s what I did:

      Stick with a good therapist. One that is on your side and understands things. You need that healthy response from a support system.
      Join a mens small group for sexual abuse. This actually helped me more than I could ever say. I found real people who went through similar (some of them worse) and shared that they experienced daily after effects just like me. It helps to lessen the burden of feeling the onlymessed up one” ou “crazy onethat I normally get.
      Read a lot of articles and recovery books. I purposely desensitized myself by reading other people’s stories. I even read those of transgendered people because they had experienced what I went through, just in a different setting.
      Prayed a lot. It doesn’t matter to me what you fill in the blank for religion/spirituality. But I’m not going to lie that talking to God didn’t get me through it. I was able to be angry, yell, question and hold my assailants guilty (as they will never be tried in a human court), and just talk out the crap. While I never had a red sea parting moment, I did in baby steps, heal from PTSD. Of course this is very personal and may not apply to everyone.
      PROCESSED THE EMOTIONS. This is the most important part. It is recommended you do this with a therapist as it can be overwhelming by yourself. The more abuse you went through, the more times you will have to do this, as it is best to take it one event at a time.

      Good luck to you Aplin! It takes time but I know you will get better.

    • Comment by Jess [Viver Bem Staff]

      Jess [Viver Bem Staff] Resposta Outubro 5, 2016 em 11:14 em

      Hi Alpin,

      First I want to commend you for taking steps to work through your difficulties, and for not giving up. I know it can be disheartening when things progress slower than you would likeit can be helpful to keep in mind that sometimes this is what is needed. To move through things at a pace that isn’t overwhelming, knowing that you are processing things in the background and always moving forward, even when it feels otherwise.

      The first step is to look after your own health and wellbeing. Engage in self carephysical and mental. Build up your safety and stability, as this will bring you to a place where you can manage and cope with the things underneath.

      And finally, while I know therapy hasn’t been helpful so far, I can’t recommend enough that you find a therapist or counsellor with experience in trauma and/or sexual abuse. This is a very specialised area that in which a therapist needs specific training and experience. Keep trying to find one who works for you, as all professionals have their own style and it may not always be the first, second or even third that suits you as an individual.

      Know that recovery is possible and help is available. I wish you the best.

      And a big thank you to everyone else for your comments. While everyone’s experiences and recovery are different, it is wonderful to hear what has worked for some, and to see people reaching out to support each other.

  2. Comment by Quinn

    Quinn Resposta Janeiro 22, 2017 em 11:13 em

    Ever since I was little, I’ve had these dreams. No one is ever on them. No voices. I do hear a monotone hum while these black lines and blobs move and spin. It doesn’t sound scarry but it does make me frightened to even remember these dreams and the very thought makes me so dizzy. Anyone else ever experience this?

  3. Comment by alyssa

    alyssa Resposta Junho 13, 2017 em 3:24 pm

    i was sexually assulted at a young age, it was my uncle. we were having a party at his house, i got tired so i went to the guest room to sleep, later that night he came in there and raped me. in the middle of it i woke up, i tried screaming but he held me down and covered my mouth. ive went to therapy, it sorta helped. but since then ive had the same sickining dream, i wake up gasping for breath, and sobbing. im scared some nights to go to sleep, ive never tried writing this story down before, and ive only talked about it to my mom, boyfriend, and therapist. im hoping this will help.

  4. Comment by Michelle

    Michelle Resposta Novembro 10, 2017 em 8:32 em

    I was assaulted last year. My friends and family were all very supportive, I went to a few therapy sessions and my university expelled my rapist. Coping of course wasn’t easy at first, but I feel that I’ve dealt with this experience in a relatively healthy way. It is now the anniversary of my assaultI remember because I came home from the hospital only to find that Donald Trump won the election, traumatizing me even further. I’ve had multiple nightmares each night for five consecutive nights, some of them about being assaulted and others just generally terrifying. My roommate tells me she hears me whimpering in my sleep. I’m exhausted, but also afraid to go back to sleep. What can I do differently to get some rest?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Close
Go top